Friday, February 11, 2005

Um cigarro

Apetece-me um cigarro, um copo de água, ser outra.
Ter-te nos braços. Ser tua como no sonho da semana passada.
Se me lembro, chegaste perto e sussurraste amo-te como quem me lambe a orelha de paixão. Acordei de imediato, não podia continuar aquele sonho, não tive forças. Foi muita emoção. Apetece-me um cigarro, desculpa repetir, mas é o que me apetece. Foi o que fiz ao acordar daquele sonho de ti a lamber-me a orelha ao som do amo-te mais incrível que eu senti em mim. Nunca ninguém me amou como naquele instante em que acordei. Eu não sabia que sonhava, acordei porque te queria ver melhor. E fumei como se fosse a ti que fumava, lentamente, tomando o gosto que imagino que o teu corpo tem e bebi a água e molhei a cara e molhei o peito e senti-me tua mas senti-me só.

2 Comments:

Blogger dunkelgrau said...

Fuma... sonhar, tal como amar, não é proibido.
Vive cada "amo-te" como o primeiro.

February 11, 2005 at 9:11 AM  
Blogger Ana said...

É reconfortante quando lemos nas palavras dos outros pensamentos que também já foram nossos. Parece mesmo que não estamos sós.

February 15, 2005 at 6:10 AM  

Post a Comment

<< Home